Veja como o custo-benefício deixa versões de entrada do T-Cross atraentes

A disputa cada vez mais acirrada no mais concorrido segmento do mercado automotivo brasileiro fez com que as montadoras apostassem ainda mais na melhora do custo-benefício dos SUVs. Na prática, isso quer dizer que as marcas buscam oferecer mais equipamentos de série desde as versões de entrada. Um bom exemplo disso é o que a Volkswagen faz na linha 200 TSI do T-Cross. Os preços das versões nessa motorização baixaram e tornaram o compacto alemão um dos SUVs com melhor custo-benefício do mercado.
Quando falamos do benefício, não estamos nos referindo apenas a preço mais baixo. São muitos os fatores que agregam valor ao veículo e resultam em economia direta ao comprador. Como por exemplo, a eficiência do motor no consumo de combustível.

LEIA MAIS

+ T-Cross oferece agora painel digital também na versão Comfortline

O motor 200 TSI flex das versões de entrada do T-Cross desenvolve potência de até 128 cv a 5.500 rpm, com etanol – com gasolina, são 116 cv, à mesma rotação. O torque máximo é de 200 Nm (20,4 kgfm), com gasolina ou etanol, sempre na faixa de 2.000 a 3.500 rpm. Esse motor pode ser combinado a duas opções de câmbio, ambas de seis marchas: manual ou automática com função Tiptronic, que também conta com as aletas no volante para troca de marcha – “shift paddles”.

Os números de consumo de combustível comprovam a eficiência do motor 200 TSI com ambos os câmbios – com o manual, o modelo percorre 13,1 km com um litro de gasolina (combinado cidade/estrada) e 9,1 km com um litro de etanol. Com o câmbio automático, são 12 km/litro de gasolina (combinado cidade/estrada) – a versão Comfortline percorre 11,9 km/l; e 8,4 km/litro de etanol em ambas as versões. O tanque de combustível do T-Cross tem capacidade para 52 litros.

O que pesa mais no custo-benefício de um carro é a oferta de equipamentos de série. E o T-Cross já é muito equipado desde a versão 200 TSI, que traz de série Controle de Estabilidade (ESC), seis airbags, freios a disco nas quatro rodas, bloqueio eletrônico do diferencial (XDS+), direção elétrica e ajuste de altura e distância para o volante, assistente para partida em rampas (Hill Hold), sensores traseiros de estacionamento, sistema ISOFIX para fixação de cadeirinhas infantis, faróis com função “Coming & Leaving home”, faróis de neblina com função “cornering”, luzes de condução diurna em LED, lanternas traseiras em LED, banco dianteiro do passageiro com encosto rebatível, suporte para smartphone com entrada USB para carregamento, travas e vidros elétricos e volante multifuncional. Isso na versão com câmbio é manual de seis marchas.

O T-Cross 200 TSI Automático acrescenta o controle automático de velocidade, apoio de braço central com porta-objetos, volante multifuncional revestido de couro com “shift paddles”, duas entradas USB para o banco traseiro, saída traseira de ar-condicionado, sistema de som Composition Touch com tela colorida sensível ao toque (“touchscreen”) de 6,5 polegadas e App-Connect.

Há para o T-Cross 200 TSI Automático apenas um pacote de opcionais, chamado Interactive II (R$ 1.590) e que inclui câmera de ré para auxílio em manobras e sensores dianteiros de estacionamento e espelhos retrovisores externos com rebatimento elétrico.

Intermediária

Poucos no mercado dos SUVs conseguem alcançar o nível de custo-benefício que a versão Comfortiline do T-Cross. Além dos itens da versão de entrada, ela adiciona ar-condicionado digital Climatronic, banco do motorista com ajuste lombar, câmera de ré para auxílio no estacionamento, indicador de pressão dos pneus (RKA), manopla da alavanca de câmbio revestida de couro, porta-luvas refrigerado, sistema “save” de variação do espaço do porta-malas, rodas de liga leve de 17” com pneus 205/55 R17, sensores dianteiros de estacionamento (além dos traseiros) e sistema de frenagem automática pós-colisão.

Para essa versão há bons pacotes de opcionais. O Exclusive & Interactive (R$ 5.450) inclui sistema de infotainment “Discover Media” com navegador via satélite, tela de 8 polegadas, comando por voz e entrada USB no console central; iluminação ambiente em LED; seletor do modo de condução; sistema KESSY de abertura das portas sem chave e partida do motor por botão; espelhos retrovisores externos com rebatimento elétrico e tapetes adicionais de carpete. Esse pacote também oferece o painel digital (Active Info Display), que antes só era ofertado na versão Highline 250 TSI.

O pacote Sky View II (R$ 4.800) traz o teto solar panorâmico, espelho retrovisor interno eletrocrômico e sensores de chuva e crepuscular. O pacote Design View (R$ 1.950) agrega bancos de couro com detalhes na cor “Marrakesh Brown” e apliques decorativos no painel com detalhes na cor bronze namíbia.

Mais barato para reparar

Uma mecânica eficiente e um pacote generoso de equipamentos de série já configuram uma boa relação de custo-benefício. Mas é preciso colocar na ponta do lápis também o que será gasto no chamado pós-venda. Nisso, o compacto da Volks se destaca no segmento. O T-Cross é o SUV com menor custo de reparo do mercado brasileiro e tem as três primeiras revisões “de série” (gratuitas) para todas as versões.

O modelo obteve classificação 13 no recém-publicado ranking Car Group, do CESVI Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária) – é o melhor índice de reparabilidade em sua categoria.

Outro diferencial importante do T-Cross: o modelo tem as três primeiras revisões (10.000 km, 20.000 km e 30.000 km) gratuitas para todas as versões. Com isso, o plano de manutenção do T-Cross até os 60.000 km é 53% mais barato que a média dos concorrentes.

O T-Cross também tem o menor custo de propriedade do segmento (é 9% mais em conta do que a média). No cálculo são projetados em quatro anos os custos do veículo com consumo de combustível, itens de desgaste, taxas de licenciamento e IPVA, além de seguro e manutenção. E sua cesta de peças é 3% mais barata que a média.

A versão de entrada com câmbio automático está sendo ofertada no site da Volks (até 31/10) por R$ 86.390 e a intermediária Comfortline, recheada de equipamentos, por R$ 94.990. E já deixamos aqui uma dica: chega na concessionária e negocia, pois o valor ainda caia mais. Pode acreditar.

Publicidade

Artigos Recentes

Publicidade
Publicidade