Publicidade

Testamos a Fiat Toro 2022 com o novo motor 1.3 turboflex; Confira a avaliação

Mesmo não tendo praticamente nenhum concorrente no mercado, a nova Toro 2022, apresentada em abril pela Fiat, exibiu uma revolução em vários aspectos. Você pode não notar as mudanças ao ver uma Toro 2022 passar ao seu lado no trânsito, mas ao entrar na cabine e, principalmente, ao dirigir a picape com a nova motorização turbo, você entenderá porque chamamos de “revolução” o que aconteceu com o utilitário que figura sempre entre os automóveis mais vendidos no país.

Para notar as mudanças no visual da nova Toro é preciso colocar uma da linha 2021 ao lado, pois pouco foi alterado. Vale ressaltar que a picape não precisava mesmo mexer no design, pois a Toro já nasceu muito bonita lá em 2016. Basicamente, foram acrescentados o novo capô, grade redesenhada, novas rodas e bullbar integrado ao para-choque.

No interior as mudanças são bem mais atraentes aos olhos – pelo menos na versão que testamos, a Volcano. Não tem como entrar na nova Toro e não olhar diretamente para a nova central multimídia de 10,1’’ posicionada na vertical no console central, que também foi renovado. Nela você visualiza quase tudo do carro, como os comandos do ar-condicionado digital de duas zonas. Quando o mapa do GPS nativo enche a tela fica ainda mais legal. O que poderia melhorar na nova e atrativa central é a imagem da câmera de ré, que não tem uma qualidade visual dígina da grande tela. O sistema de som também merecia mais potência. Quem gosta de curtir uma boa música em volume mais ato pode se decepcionar.

Aliás, a central multimídia chama tanto a atenção que você demora para reparar no novo painel de instrumentos 100% digital com tela TFT de 7’’. Não tem o brilho ou firulas visuais como de outras marcas, mas cumpre seu papel de passar as informações do veículo de forma simplificada e de fácil visualização.

Mais tecnologia

No quesito conectividade, a nova Toro oferece carregador de smartphone sem fio e uma plataforma completa de serviços conectados inédita no mercado brasileiro, como internet wi-fi a bordo conexão com o carro à distância por aplicativo.

Em relação à segurança, podemos destacar o Sistema Avançado de Assistência ao Condutor (ADAS) com frenagem autônoma de emergência, aviso de mudança de faixa e comutação automática dos faróis, equipamento de auxílio ao motorista que oferece mais conforto na condução e, principalmente, segurança para condutor e passageiros. Há ainda faróis Full LED, sistema de iluminação frontal 100% em LED que melhora em 30% a performance dos faróis.

Esqueça o E Torq

Outra revolução da Toro 22 está sob o capô. O novo motor turboflex T270 tem sadios 185 cv com etanol e 180 cv com gasolina. O torque é sempre de 27,5 kgfm distribuídos pela transmissão automática de seis velocidades. O conjunto moderno faz você esquecer o motor 1.8 E Torq de 139 cv que puxou a Toro por muitos anos. Este, aliás, ainda é ofertado em uma versão de entrada.

A Toro T270 anda bem na cidade e na estrada. Tem saídas rápidas e retomadas valentes, principalmente quando você usa as alavancas atrás do volante para reduzir a marcha. Lembre até o vigor do motor 2.0 turbodiesel das versões mais caras. O consumo médio durante nossos dias de teste na cidade foi de 7,2 km/l de gasolina.

Podemos resumir portanto que a Toro seguirá vendendo muito bem até que os novos rivais, como Hyundai Santa Cruz, Ford Maverick, Volkswagen Tarok cheguem por aqui, o que não há nem previsão certa. A Duster Oroch da Renault, que um dia chegou a rivalizar com a Toro, passará em breve por algumas mudanças importantes, mas, ainda assim, será difícil de duelar com essa renovada e tecnológica picape da Fiat. Sem dizer que ela é linda.

Publicidade

Artigos Recentes

Publicidade