Curiosidades Tecnologia

Será 2019 o ano dos elétricos? Veja os carros carregados na tomada que vão chegar ao Brasil

Por falta de incentivos do poder público, o Brasil está bem atrasado quando falamos de carros elétricos. Apenas neste ano o país foi incluído no radar das grandes montadoras, com o anúncio de boas novidades no setor para 2019. Muito se deve ao (atrasado) programa de incentivos Rota 2030, mas, principalmente, porque a eletrificação dos carros é um caminho sem volta e nós já largamos nas últimas posições nesta corrida pelo meio ambiente.

LEIA MAIS

+ Onda dos SUVs elétricos invade as marcas de luxo e deve se espalhar pelo mundo

+ Os novos carros elétricos brasileiros se destacam no Salão do Automóvel

+ Novo e-tron é a ofensiva elétrica da Audi contra a Mercedes, Tesla e Jaguar

+ 100% elétrico: novo Jaguar I-Pace chega ao Brasil ainda neste ano

+ JAC vai lançar em 2019 o carro 100% elétrico mais barato do Brasil

O Salão do Automóvel de São Paulo deste ano foi a grande vitrine para as montadoras lançarem seus modelos elétricos que chegam às ruas no ano que vem. Quem abriu esse caminho foi a Chevrolet com o Bolt EV.

Com preço de R$ 175 mil em sua versão topo de linha (por enquanto só essa será vendida no Brasil), o Bolt é capaz de rodar, em média, 383 quilômetros com uma única carga das baterias. O modelo ainda conta com sistema regenerativo que aproveita a energia dissipada em frenagens e desacelerações para alimentar as baterias.

A recarga é feita em tomadas e há opções que combinam com diferentes necessidades de deslocamento do usuário. No caso de um carregador semirrápido doméstico, uma hora garante 40 km extras de autonomia. Já em carregadores rápidos, encontrados em eletropostos, bastam 30 minutos para conseguir rodar mais 145 km.

O Bolt EV ainda oferece o alto torque característico dos motores elétricos. Arrancadas de 0 a 100 km/h podem ser feitas na casa dos 6,5 segundos.

Renault Zoe

Outro pequeno carregado na tomada que chega às ruas em 2019 é o Renault Zoe. Ele custa R$ 149.990 (o mais barato até então) e possui autonomia superior a 300 quilômetros (ciclo WLTP), graças à bateria Z.E. 40. Plugado em uma corrente trifásica de 22 kW, o veículo leva apenas 1h40 para chegar 80% de sua carga total.

Segundo a Renault, em uma fração de segundo, o motor elétrico R90 entrega um torque máximo de 22,9 kgfm, permitindo acelerações e retomadas ágeis mesmo em baixa rotação. A aceleração vai de 0 a 50 km/h – faixa mais frequente em uso urbano – em 4 segundos.

Paralelamente, a natureza elétrica do Zoe proporciona uma condução mais tranquila principalmente graças à ausência de ruído do motor e vibrações. O som medido na cabine do Zoe entre 40 e 75 km/h é de 60 a 65 dB, o que é 2 a 3 vezes menor se comparado a um veículo térmico de potência equivalente.

Nissan Leaf

Ainda no Salão de São Paulo, a Nissan formalizou uma espera que era longa: a chegada do Leaf, o carro elétrico mais vendido do mundo. A segunda geração do hatch vai custar R$ 178.400.

O Nissan LEAF oferece autonomia de 389 km em ciclo urbano, de acordo com os padrões WLTP (270 km em ciclo combinado), e 240 km de acordo com o ciclo EPA, permitindo que o motorista possa fazer trajetos mais longos. Com a nova tecnologia e-Powertrain, o novo Nissan LEAF entrega 110 kW (149 cavalos) de potência e 32,6 kgfm (320 Nm) de torque, melhorando a aceleração.

Além disso, o modelo é equipado com a tecnologia e-Pedal, que transforma a maneira como as pessoas dirigem. O sistema permite que o motorista dê a partida, acelere, desacelere e pare, bastando apenas aumentar ou diminuir a força exercida sobre o pedal do acelerador. Quando nenhuma pressão é exercida sobre o pedal do acelerador, freios regenerativos ou de fricção são acionados automaticamente, permitindo parar totalmente o veículo e mantê-lo imóvel mesmo em ladeiras, até que o pedal do acelerador seja pressionado novamente. A reatividade do e-Pedal potencializa o prazer de dirigir um veículo elétrico.

JAC E40

Os chineses não poderiam ficar de fora desse mercado e preparam o primeiro lançamento de um carro 100% elétrico já para 2019. A JAC trará o crossover E40 com o preço mais baixo do segmento: R$ 129.990.

O 100% elétrico da JAC tem 300 km de autonomia e um motor que rende 115 cavalos. O torque é de 27,6 kgfm e a velocidade máxima de 130 km/h. Segundo a JAC, a recarga de 80% das baterias leva apenas 1 hora. Já para chegar aos 100% em carga lenta na tomada de casa são necessárias 7 horas.

Mercado de luxo

Até então estávamos nos referindo ao mercado “de entrada” dos elétricos no Brasil. Mas, se o bolso foi mais fundo, existe uma opção mais cara e que já está à venda no país, como o Jaguar I-Pace e os BMW I3 e I8.

O Jaguar I-Pace é equipado com uma bateria íon de lítio de 90kWh formada por 432 células e ampla capacidade térmica, o modelo é capaz de sair da imobilidade e alcançar os 100km/h em apenas 4,8 segundos, além de possuir uma autonomia de rodagem de cerca de 480 quilômetros.

Tudo isso graças aos dois motores elétricos idênticos que enviam tração para as quatro rodas. O carregador de 100kW permite aos clientes recarregar até 80% da bateria do I-Pace em até 40 minutos, situação ideal para uma viagem longa. Já quando carregado em uma tomada normal caseira de 7kW, os 80% de carga são alcançados em 10 horas, ou seja, essa situação é perfeita o carregamento durante uma noite de sono.

A combinação de tração nas quatro rodas, 394cv de potência e 71Kgfm de torque instantâneo, característica inerente de um veículo 100% elétrico assegura que esse modelo de zero emissões tenha um comportamento esportivo em todas as situações.

O I-Pace deveria começar a ser vendido neste ano ainda, mas a nova previsão é que chegue às lojas somente em março de 2019, quando serão divulgados os preços. Mas não espere nada abaixo dos R$ 300 mil.

Mercedes e Audi

Esse segmentos de crossovers carregados na tomada vai aumentar em 2019 com a entrada de dois novos elétricos: o Mercedes EQC e o Audi e-tron.

Com um visual polêmico, o novo Mercedes EQC tem autonomia de 450km com sua bateria de íons de lítio com 80kWh de capacidade. Ela alimenta os motores elétricos colocados sobre os dois eixos que oferecem 408cv de potência e 78 kgfm de torque. A recarda de 10% a 80% da bateria leva apenas 40 minutos, segundo a montadora.

Com esse conjunto, a aceleração anunciada de 0 a 100km/h em apenas 5,1 segundos. Um valor interessante para um SUV que supera as duas toneladas de peso, sendo 650kg só de baterias.

O SUV elétrico da Mercedes tem dimensões generosas, onde se destacam desde os 4761 mm de comprimento, 1884 mm de largura e ainda 1624 mm de altura. O espaço interno é garantido pela distância entre-eixos de 1625 mm. E o porta-malas tem 500 litros de capacidade.

O Audi e-tron também promete sacudir o mercado e está previsto para o Brasil. O SUV é equipado com dois motores elétricos de emissões neutras de CO2 e silenciosos. Além disso, uma nova geração da tração quattro – a tração elétrica nas quatro rodas – garante mais aderência e dinâmica, segundo a Audi. O sistema oferece uma regulagem contínua e variável da distribuição ideal de torque entre os dois eixos – dentro de uma fração de segundo.

Segundo a montadora, um fator-chave para a característica esportiva e a excelente dinâmica é a posição baixa e central na qual o sistema de baterias é instalado. São 700 kg de baterias para carregar 95 kW/h, que garantem 400 km de autonomia. Para carregar 80% bastam 30 minutos na tomada de abastecimento.

* Por Bruno Vasconcelos

Baixe meu E-book

Inscreva-se para receber seu e-book gratuitamente

Acompanhe nosso canal

RET Jetta Outlet
RET Polo Março