Produção de modelos Citroën no Brasil não descarta resíduo sólido

Você imagina um grande complexo fabril que não envia absolutamente nenhum resíduo sólido para aterros sanitários? Essa é uma realidade no Polo Industrial da Stellantis em Porto Real (RJ), responsável pela produção do Novo Citroën C3, SUV C4 Cactus e, em breve, do Novo SUV C3 Aircross.

A unidade localizada a cerca de 150 km do Rio de Janeiro possui uma gestão moderna que elimina qualquer descarte sólido fruto de seus processos fabris. Todo ano mais de 200 toneladas de materiais deixam de ser encaminhados a aterros, com um impacto positivo direto no meio-ambiente, pois a planta não descarta resíduo sólido.

Todos os materiais gerados na fábrica são separados no próprio complexo. Itens como papelões, por exemplo, são enviados para uma unidade de tratamento dentro do Polo Industrial, onde são prensados e agrupados. O mesmo vale para plásticos, que, após a preparação, são destinados a centros de reciclagem. Já a madeira é separada e triturada para se transformar em cavaco, item essencial na geração de biomassa.

LEIA MAIS
+ Kia Picanto é lançado com um visual de tirar o fôlego

Sobras metálicas ferrosas e não ferrosas também são enviadas para reciclagem, enquanto resíduos orgânicos são utilizados no coprocessamento de usinas de cimento. Até sobras de alimentos possuem destino certo: neste caso, para a produção de compostagem e adubo orgânico por meio de uma empresa parceira da Stellantis.

Esse cuidado garantiu ao Polo Industrial de Porto Real uma característica inovadora e que vai ao encontro com as políticas mais sérias de proteção ao meio-ambiente: todos os veículos produzidos lá não geram nenhum resíduo sólido, ajudando a conter o impacto nos aterros sanitários e contribuindo para a economia circular.

A fábrica de Porto Real possui diversas outras medidas voltadas para a sustentabilidade e integração com a população local. Essas políticas serão detalhadas em outros comunicados da Citroën ao longo de 2023.

Artigos Recentes