Publicidade

Porsche estreia a grife GTS no Taycan e esportivo custa R$ 805 mil no valor de largada

CALIFÓRNIA ( Willow Springs) – Nos arredores de Los Angeles, um cenário exclusivo: o autódromo de Willow Springs, que serviu de locação para o filme Porsche vs Ferrari. E nele, o asfalto preparado para acelerar o novo Taycan GTS, primeiro modelo da gama elétrica do grupo VW, a passar da barreira dos 500 quilômetros de autonomia (faz 504 Km). Vamos comigo nessa mas antes de pisar fundo, me permita lembrar da fotografia, das cenas, da história.

LEIA MAIS

+ PORSCHE ESTREIA NOVOS TAYCAN GTS E GT4 RS EM LOS ANGELES

Gosto de contar histórias e, não deixaria de dizer que a pista, inaugurada em 1953, é muito louca, rápida, um dos circuitos mais antigos dos Estados Unidos. São nove curvas e cada uma delas reflete um traçado, quase sempre veloz, parecia sob medida para conduzir o Taycan GTS, novidade da marca no Brasil em 2022, que está em pré-venda por R$ 805 mil, e que saber? Levei ao limite, ao extremo. Mas calma aêêê porque também sei que não é um Fórmula E no circuito mas gosto de andar forte e a sigla GTS inspira.

Leandro Rodrigues Sabes, relações públicas e comunicação da Porsche Brasil, declara com a mão no peito, que a linha GTS geralmente é de mais tocada, mais ágil, diria que atrevida. E isso faz o diferencial para quem vive com emoção porque ele é de uso misto e certamente a assinatura estampada na tampa traseira diz que ele é o carro que chega mais perto de um semi pista, como o novo GT4 RS, apresentado no Los Angeles Auto Show.

Mas antes de entrar no esportivo elétrico, deixe eu dizer um pouco mais: vai lá em Need for Speed, Gran turismo Sport e em Project Cars para conhecer a pista e jogue em Willow Springs. Ou, na menor das hipóteses, assista as primeiras cenas de Ford vs Ferrari, o duelo de Le Mans, de 1966 e mande brasa. No mínimo, vai curtir Matt Damon e Christian Bale dando um show na tela. Aliás, recomendações à parte, acho que show mesmo deu UOL Carros de ponta a ponta. Em cada lance de condução, pilotagem, que passo a narrar para vocês voltando no tempo, na hora que tudo começou longe do circuito.

São 6h45 da manhã, hora da saída de L.A Downtown para o autódromo. As primeiras impressões de estrada foram na versão Sport Turismo (perua Taycan que não será vendida no Brasil). Mas esse assunto preciso contar depois.

Mecânica, dinâmica e impressões urbanas serviriam de pilares para encontrar o sedã, cerca de 3h30 depois no circuito. É tão longe assim? Não, o fato é que percorremos regiões de montanhas e, no final do trecho um acidente daqueles de chamar o 911 (não o Porsche, mas a emergência) e ficar vendo de perto o resgate dos ocupantes dos veículos colididos. Sem condições de ajudar em nada, a polícia e o corpo de bombeiros isolaram a área. Vale a dica para sempre respeitar as placas e não bancar o atrevido (a) fora do autódromo. Pode dar errado em algum momento.

No sedã e no chão
Mas vamos seguir em frente e pegar o esportivo que lidera o segmento dos elétricos no Brasil e contar mais sobre ele: o Taycan Gran Turismo Sport é uma legenda de reputação especial entre os fãs da marca. E isso acontece desde 1963 com o 904 Carrera GTS. Mas, o que dizer antes de acelerar: lembrar da autonomia que pode chegar aos 504 quilômetros, de acordo com o WLTP, parte que se torna aliada do dono nessa pegada elétrica e santa seja a sua força.

Um outro. Haja overboost, força de retomada, aceleração irretocável e generosos 598 cavalos de potência. Ah! Se for parar para fazer um Launch Control vai arrepiar, sorrir e se divertir mais.

O carro é completo, esportivo tipo família com bom espaço para quem vai atrás. Na ficha da montadora, o 0 a 100 km/h é esperto. O GTS sai da inércia e chegar aos 100 km/h em apenas 3,7 segundos. A velocidade máxima é de 250 km/h, chegamos bem perto no autódromo, e a bateria Performance Plus de série conta com capacidade total de 93,4 kW. Acho que você não vai sentir falta de mais nada.

Para o fãs da Porsche, ou até mesmo para quem nunca ouviu falar do tema, a suspensão pneumática adaptativa é irretocável nas curvas e no uso severo da frenagem. Você pisa e o carro mantém a linha. O Porsche Active Suspension Management (PASM) foi calibrada, ajustada para o GTS.

O Taycan nessa configuração é firme no chão e goza de um favorecimento na dinâmica lateral invejável. Pode pisar que ele entra. O eixo traseiro direcional opcional conta com uma configuração mais esportiva e no circuito, desligando um pouco da tecnologia, a vida é outra (rsrs), são sempre as melhores voltas. O GTS é intenso e recebe o que eles chamam de Porsche Electric Sport Sound modificado para reforçar o caráter do novo modelo.

Por dentro, as multitelas e suas funções no toque dos dedos. Bom lembrar do que já mostramos na largada da família Taycan. A bordo, o pacote Sport Chrono e o cronômetro são itens de série. No volante GT multifunções é possível fazer a seleção dos modos de condução (Range (pura economia), Normal, Sport, Sport Plus e Individual). O modo Sport foi concebido de forma ainda mais dinâmica em comparação com os outros modelos Taycan. Detalhe: não arrisquei sair muito do Sport Plus e acho que você faria o mesmo.

No design, a Porsche diz que outra característica típica de um GTS são os detalhes escurecidos no exterior, como na carenagem dianteira, nas bases dos retrovisores externos ou nos frisos dos vidros laterais. Além disso, a nova versão do Taycan conta com o pacote Sport Design, com revestimentos exclusivos. Sobra personalidade.

Nos faróis dianteiros Matrix em LED, equipados de série, com Porsche Dynamic Light System Plus (PDLS Plus), os painéis dos elementos das luzes de condução diurna são fabricados em preto mate e possuem um design de condutores 3D.

As rodas Taycan Turbo S Aero Design de 20 polegadas, equipadas de série, são pintadas em preto acetinado. Opcionalmente, são disponibilizadas rodas de 21 polegadas no novo desenho RS Spyder, com pintura exclusiva em preto acetinado para o GTS e as pinças de freio amarelas. Se gostou do que leu, manda para um amigo e diz que a vida é curta demais para a gente ter que acelerar o que não dá prazer.

Publicidade

Artigos Recentes

Publicidade