Novo Territory tem fôlego e moral para brigar com Taos, Compass e Corolla Cross

Já escrevemos aqui algumas vezes sobre carros “injustiçados” no mercado nacional. São veículos bons, bonitos, com atributos acima da média da concorrência, mas que as vezes não deslancham nas vendas. Não podemos classificar o novo Territory de injustiçado, pois ele chegou por aqui faz pouco tempo. E esse, na minha opinião, é um carro completamente diferente de sua primeira geração, que, de fato, não emplacou bem por aqui.

Confira o vídeo:

Agora que testamos por alguns dias o Territory Titanium tanto na cidade como na estrada, podemos dizer que ele tem todas as armas certas para rivalizar no topo com seus principais concorrentes, que são Volkswagen Taos Highline, Jeep Compass Limited Corolla Cross Hybrid e CAOA Chery Tiggo 7 PRO Max. Além do preço, claro.

Dessa turma toda que citamos, o novo Territory só não é mais barato que o Tiggo 7. A Ford está pedindo R$ 209.990 pela novidade, que baixou de pedida em relação à primeira geração.

Por esse valor, o SUV entrega tudo e até um pouco mais que seus concorrentes. Tem uma vasta lista de tecnologia a bordo, acabamento premium, sistema de infoentretenimento moderno, com duas telas de 12 polegadas (uma para o cluster) e conexão sem fio com o smartphone.

No visual, não há nada que lembre a geração anterior. Além do desenho que reúne esportividade e requinte, o SUV ganhou em porte e ampliou um de seus principais atributos: espaço interno que deixa os concorrentes apertados. O carro mede 4,6 metros de comprimento e 2,7 m de entre-eixos. O porta-malas com porta elétrica aumentou de 420 para 448 litros.

LEIA MAIS
+ Porque os elétricos darão certo desta vez?

Um ponto que gerava reclamação na primeira geração foi de certa forma corrigido agora. O motor 1.5 Ecoboost foi modernizado e agora entrega 169 cv de potência e 25,5 kgfm de torque. A transmissão de dupla embreagem banhada a óleo com sete velocidades atua de forma rápida e eficiente.

Assim como todo Ford, o Territory é muito bom de dirigir. A posição ao volante empolga e a suspensão um pouco firme dá uma pegada esportiva, principalmente quando você coloca no modo de condução Sport. O SUV se transforma. Pode testar e comprovar.

Com tudo isso que falamos sobre o Ford e já conhecendo os rivais que citamos acima, se o SUV não emplacar muito com esse preço poderemos sim dizer que temos um carro injustiçado. Ele precisa ser levado em consideração por quem busca um utilitário esportivo de design elegante, refinado, desse porte e faixa de preço. Não colocá-lo em sua lista seria uma injustiça.

Artigos Recentes