Publicidade

Novo Macan é a melhor novidade da Porsche para o Brasil

Publicidade

Em tempos de falta. Falta de tudo mesmo porque quem vai ordenar um Porsche tem que ter paciência e fé. Ontem, aqui em São Paulo, o fabricante alemão anunciou a chegada do novo Macan para o mercado nacional. Melhorou no design, no comportamento, na tecnologia que permitiu mais potência. Complete a gama com mais três versões: T, S e GTS. Dirigimos o carro que vem conquistando o público pelo mundo.

LEIA MAIS

+ PORSCHE ESTREIA A GRIFE GTS NO TAYCAN E ESPORTIVO CUSTA R$ 805 MIL NO VALOR DE LARGADA

O T é pura pré-venda, mais leve, R$ 479 mil, mais caro, porém mais arrojado. Rebaixado em 15 mm ou até mais no Sport Plus com (10 mm) de acréscimo, o utilitário médio compacto vira um quase 911 de médio salto. Mas esse capítulo a gente escreve depois porque a versão está no digital e não no centro de serviços da Sttutgart, base de largada do nosso drive.

Nas ruas, o teste básico do motor, do comportamento do veículo. Debaixo do capô do esportivo, um quatro cilindros turbo capaz de desenvolver até 265 cv de potência e 400 Nm de torque. O suficiente? Acho que sim antes de você acessar o GTS e investir mais. A pedida daí de R$ 439 mil para R$ 669 mil.

A Porsche informa na ficha técnica que nessas configurações, o SUV vai de 0 a 100 km/h em 6,4 segundos, com velocidade máxima de 232 km/h. Quem precisa de mais? Por isso vai o conselho: peça e customize, personalize que pode valer a pena e você ainda fica na casa abaixo dos R$ 500 mil.

O Macan é o melhor Porsche? Claro que não, prefiro o clássico 911, mas o julgamento não deve ser radical porque puristas dizem logo: “SUV Porsche? Isso não existe”. Esses humanos estão ligeiramente desatualizados porque até Ferrari pode. Lamborghini, Aston Martin… O Macan permite que em único modelo a viagem com a família, amigos e bom uso do porta-malas de 488 litros. É outra proposta mas funciona para quem deseja acessar a marca e precisa resolver o problema de casa.

O carro é uma delícia de dirigir, cabine remete ao DNA do 911 com painel semelhante, console central elevado e pegada esportiva do volante inclinado. Isso é muito F. Interprete a letra como desejar.

Mesmo com os 265 cv, abuse do modo de condução. Adorei o Sport para não ser mais radical no Sport Plus. O Comfort que deixa a suspensão um doce não é a minha praia. O SUV é dos bons e o esforço de tração inteligente compensando a força da traseira e distribuindo o “necessário” para a frente é massa.

Nas retomadas, um abuso exigir das borboletas atrás da direção e encaixar o pé no pedal. A estrutra da carroceria que vai se despedir do motor a combustão na próxima geração vai deixar saudade.

Na configuração S, o propulsor é um biturbo V6 de 2,9 litros que entrega até 380 cv. A conta também é outra. Nessa versão, o esportivo acelera de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos e tem uma velocidade máxima de 259 km/h e custa R$ 569 mil.

A opção topo de linha GTS de suspensão pneumática usa o calibrado biturbo V6 2.9 com 440 cv de potência. Nessa versão, o Macan é capaz de sair da inércia e alcançar os 100 km/h em apenas 4,3 segundos e atingir a máxima de 272 km/h.

Todos os motores são acoplados à caixa de mudanças Porsche de dupla embreagem (PDK) de sete velocidades e de troca extremamente rápida e ao sistema de tração integral ativa Porsche Traction Management (PTM). O melhor câmbio do mundo. Vou usar o jargão da CAOA Chery e pedir licença.

Para o design, a dianteira foi redesenhada com um refinamento na cor externa que enfatiza a largura do Macan. Os faróis LED com o Sistema de Iluminação Dinâmico Porsche (PDLS) e os retrovisores externos Sport Design agora são itens de série em todos os modelos.

A traseira agora é arredondada, fruto da adoção de um difusor de alta eficiência aerodinâmica. Já no novo GTS, o centro da parte dianteira, bem como outros elementos, tem acabamento em preto. Outra personalidade.

O novo Macan oferece um interior repaginado com um novo console central. Seu novo conceito de operação, que faz uso de superfícies de toque em vez de botões táteis, traz uma estrutura clara para o posto do motorista. Uma nova alavanca seletora mais curta fica no centro do módulo de controle. O relógio analógico na parte superior do painel também virou item de série.

Vários estofados em couro e pacotes de costura contrastante em Azul Genciana, Papaya ou Crayon estão disponíveis como opcional para adicionar novos destaques de cor ao interior. O item de série também inclui um volante esportivo GT multifuncional aquecido e o cronômetro Sport Chrono na parte superior do painel. As opções de cores são as clássicas ou as divertidas com destaque para o Miami Blue.

A lista de equipamentos de segurança é imensa assim como o pack de tecnologia governado no console de indicadores digitais (todo touch) e intuitivo. Car Play e Android auto no radar do condutor. Atrás, um ligeiro aperto para quem é gigante, acima de 1m80 e duas saídas USB-C para quem precisa energizar o celular.

Publicidade

Artigos Recentes

Publicidade