Publicidade

Mudanças do Kwid serão suficientes para desbancar o Mobi?

Publicidade

A Renault atualizou o seu carro mais vendido no Brasil visando a liderança do segmento de entrada no Brasil. O “novo” Kwid 2023 passou por uma renovação no visual, ganhou mais equipamentos e ainda se manteve como o carro mais barato do país na versão Zen por R$ 59.890.

LEIA MAIS

+ RENAULT KWID ATUALIZA NA LINHA 2023 COM NOVO DESIGN E MAIS TECNOLOGIA

A estratégia da Renault é bem clara: fazer do Kwid o modelo de entrada mais vendido do país. Para isso terá que desbancar o Fiat Mobi (R$ 60.990), seu rival mais direto, e o Volkswagen Gol, que lidera o segmento, mas é bem mais caro que concorrentes, partindo de R$ 69.790.

As mudanças no visual, principalmente na frente, deram um novo fôlego ao design que já tem 5 anos de mercado. O novo “carão” do Kwid com o conjunto óptico dividido em dois andares deu mais volume ao compacto, que parece até que cresceu, mesmo que nenhuma medida tenha sido alterada.

Considerado o Mobi como o principal rival, o Kwid 2023 leva vantagem por ter alguns itens de série em todas as versões e que o Fiat não oferece, como os quatro airbags, controle de eletrônico de estabilidade, assistente de partida em rampa e aviso de cintos de segurança não afivelados para todos os ocupantes do banco traseiro.

Na parte mecânica, outra vantagem do Kwid é a direção elétrica, bem melhor que a hidráulica do rival, e o recém-incluído sistema Start/Stop que desliga o motor quando carro para nos semáforos e engarrafamentos, poupando mais combustível.

+ FIAT MOBI PERDE POTÊNCIA MAS GANHA NA ECONÔMIA PARA A LINHA 2022

Uma vantagem importante do Mobi é a conectividade da central multimídia que, apesar de ser menor (7 polegadas contra 8’’ do Kwid), faz o espelhamento wireless via Android Auto e Apple Carplay. No Renault ainda é necessário o cabo.

Nesse duelo de compactos de entrada quem mais ganha é o consumidor. A concorrência sadia entre Renault e Fiat nesse importante e volumoso segmento trará novos equipamentos de seéria, tirando de cena aquelas versões “peladas”.

Em 2021, O Mobi vendeu 65.847 unidades, contra 52.916 emplacamentos do Kwid. Esse jogo deve virar em 2022 com a renovação do Renault. O Fiat só é oferecido em duas versões e precisa de algumas renovações mecânicas, como trocar a direção hidráulica pela elétrica, e pensar mais na segurança com mais airbags e controle eletrônico de estabilidade.

E a Renault ainda tem uma carta na manga quer será usada no segundo semestre deste ano, que é a chegada da versão 100% elétrica do Kwid. Claro que não será um carro de volume, mas agregará valor ao modelo.

Publicidade

Artigos Recentes

Publicidade