Micos ou injustiçados? Veja os carros que não decolam nas vendas

Eles são bons carros, bonitos, andam bem, e de marcas que estão há muitos anos no mercado no Brasil, mas, mesmo assim, não conseguem decolar nas vendas por aqui. Olhando o balanço das vendas do primeiro semestre feito pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), encontramos alguns desses modelos, que alguns chamam de “micos”, mas nós preferimos denominar de “injustiçados”, afinal, são veículos que têm suas qualidades. Confira nossa seleção:

Peugeot 208

O hatch compacto francês chegou ao Brasil em 2013 após um lançamento muito badalado na Europa no ano anterior. O modelo chegou “fazendo barulho” com seu visual moderno para a época e um interior cheio de tecnologia. A procura foi grande no começo, tanto que a Peugeot anunciava uma expectativa de vender 2.500 unidades por mês. Só que hoje a realidade é outra. Em 2018, o modelo emplacou 3.994 unidades, o que dá uma média de 665 carros por mês.

Citroën C3

Assim como seu primo 208, o Citroën C3 causou uma corrida às concessionárias da marca francesa em 2012, quando chegou sua segunda e atual geração. O modelo era o “xodó” da mulherada com suas formas arredondadas e detalhes pensados para o mercado feminino. Mas isso não garantiu um sucesso duradouro e, neste ano, o pequeno vendeu apenas 3.639 unidades.

Peugeot 308

Ainda falando em carros franceses, temos um exemplo claro de que alguns modelos são injustiçados e não micos. Ao substituir o 307 em 2012, o 308 fez muita gente pensar que Ford Focus e VW Golf ganhariam um rival a altura no segmento dos hatches médios. Doce ilusão. O modelo andou bem nas vendas nos primeiros anos, mas hoje, muito em função da decadência do próprio segmento, registrou o emplacamento de apenas 266 unidades em 2018.

Mitsubishi Lancer

Quem já dirigiu um Lancer sabe que o modelo da Mitsubishi é um dos melhores sedãs médios para “pilotar” do mercado brasileiro. Seu motor 2.0 de 160 cv, a suspensão independente na dianteira e na traseira e suas rodas de aro 18 polegadas explicam um pouco essa “empolgação” que o sedã japonês passa. Mesmo sendo um dos mais baratos do segmento (partindo de R$ 74.990), o Lancer só emplacou 734 unidades. Isso é menos do que o Corolla vende em apenas 5 dias.

Peugeot 408

Outro bom de dirigir e de visual de agradar aos olhos é o 408. O que dizer então da versão THP com seu motor turbinado flex de 173 cv e transmissão automática de seis velocidades? Se colocar na pista ao lado do líder Corolla, o japonês comeria poeira. Já quando assunto são vendas, o sedã da Toyota (que emplacou 28.554 unidades no primeiro semestre) precisa de apenas três dias para alcançar os 444 modelos do 408 que foram emplacados neste ano.

Suzuki Vitara

Nos anos 1990, quando o segmento dos SUVs compactos ainda não tinha nenhum representante 100% nacional (EcoSport nasceu em 2003), o Vitara era o sonho de consumo de quem queria pegar a lama nos finais de semana. O “jipinho” da Suziki com motor a diesel e fama de valente era visto por todos lados. Hoje, encontrar o novo Vitara nas ruas é tão difícil como ver Neymar de pé dentro de campo. Foram apenas 915 unidades vendidas neste ano. Para se ter uma ideia do baixo volume, o Range Rover Evoque, SUV de luxo que custa quase o triplo de um Vitara, vendeu 972 unidades no mesmo período.
Publicidade

Artigos Recentes

Publicidade
Publicidade