Publicidade

Jetta GLI aposta na esportividade para sobreviver no mundo dos SUVs

Publicidade

Praticamente a metade de todos os automóveis vendidos no Brasil entre janeiro e maio deste ano são SUVs. Os utilitários esportivos já representam 46,85% do mercado automotivo nacional e vêm engolindo (ou já engoliu) outros segmentos, como o das minivans, peruas, hatches médios e sedãs grandes. A atual “vítima” da “mania de SUVs” é o segmento dos sedãs médios, que já foi um dos mais disputados no nosso mercado. É nesse cenário nada otimista para os carros de três volumes que a Volkswagen traz do México o Jetta GLI 2022.

LEIA MAIS

+ VOLKSWAGEN APRESENTA O JETTA GLI RENOVADO COM NOVO MOTOR

Hoje temos praticamente apenas dois sedãs médios com volume representativo de vendas. O Corolla tem 69% de participação e o Cruze 15,8%. O Jetta, que de certa forma sumiu das lojas da Volks neste ano, acumula apenas 0,35% de participação.

Sabemos que a Volks não tem a pretensão de disputar as cabeças do segmento com Toyota, Chevrolet ou até mesmo com a Honda quando trouxer o novo Civic no final deste ano. Os alemães esperam que a esportividade do seu sedã seja uma alternativa aos SUVs para quem não abre mão do prazer de dirigir.

O Jetta GLI teve o motor 350 TSI recalibrado para atender às normas de emissões e ganhou 1 cv de potência (agora 231 cv) e manteve os 35,7 kgfm de torque. Coube ao câmbio DSG agora de 7 velocidades (antes eram 6) a missão de deixar o sedã mais econômico sem perder a performance. Em velocidades mais baixas, aquelas que usamos na cidade ou na estrada, o câmbio com mais marchas reduz a rotação e deixa o carro mais econômico. Já na pista de corrida, quando a ideia é a performance, ative o modo Sport e acelere até os 100 km/h em apenas 6,7 segundos – 0,1 segundo mais rápido que a versão anterior.

E não pense que por ser classificado como esportivo que o Jetta GLI não pode ser usado no dia a dia. O Conforto a bordo é o de um sedã executivo. A suspensão independente tipo Mc Pherson na dianteira e multibraços na traseira fazem um trabalho refinado. Escolha um dos quatro modos de condução disponíveis e vá do sossego à empolgação em instantes.

Além do apelo esportivo no acelerador, que empolga, o visual do Jetta 2022 ficou mais invocado com as grades em formato de colmeia e uma moldura vermelha bem chamativa nas entradas de ar do para-choque dianteiro.

A cabine ganhou mais capricho no acabamento – uma reivindicação antiga dos clientes do Jetta. O console tem o toque emborrachado e o couro ganhou mais espaço nos painéis das portas, por exemplo. O novo volante deu mais modernidade e a central multimídia VW Play agregou a conectividade que faltava. Esqueça o cabo para fazer o pareamento com o celular via Android Auto e Apple Carplay, é tudo wireless.

Pelo preço de R$ 216.990 o Jetta GLI empata em valor com o Jeep Compass Série T270 4×2. Nessa versão, o SUV médio mais vendido do Brasil tem o mesmo nível de equipamento que o sedã esportivo da Volks, com uma certa vantagem para o Compass, que tem a mais o sistema de permanência em faixa e o sensor de ponto cego.

Mas quando falamos no prazer de dirigir e de deixar um sorriso permanente no seu rosto a cada acelerada, o motor 350 TSI que só bebe gasolina não pode (e nem merece) ser comparado ao 1.3 turboflex que puxa o SUV. São propostas diferentes pelo mesmo preço. A escolha sempre será sua.

Publicidade

Artigos Recentes

Publicidade