Frenagem autônoma aumenta a segurança nas vias, aponta Cesvi

O Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi) Brasil desenvolveu um boletim técnico que aponta a importância do sistema de frenagem autônoma de emergência. As colisões frontais entre veículos e envolvendo pedestres sao acidentes comuns no trânsito, e a principal causa geralmente é o espaço insuficiente de frenagem mantido pelos motoristas em relação às velocidades de tráfego.

LEIA MAIS

+ Novo Chevrolet Cruze chega com Wi-Fi a bordo e frenagem automática

Foi pensando em uma forma de diminuir esses tipos de acidentes e preservar a vida e o patrimônio que foi desenvolvida a nova tecnologia automotiva AEB (Autonomus Emergency Brakin – frenagem autônoma de emergência), um sistema cada vez mais presente nos veículos.

A frenagem autônoma de emergência está na lista das tecnologias automotivas que tendem a se tornar essenciais na redução de acidentes e mortes no trânsito, uma vez que o comportamento humano ainda é o principal fator de colisões e, muitas vezes, a reação humana não é suficiente para evitar um acidente.

Como o AEB atua

Sensores do tipo radas e câmeras são instalados no veículo, em geral no retrovisor interno e também no para-choque dianteiro, voltados para frente, analisando a área a ser trafegada a fim de identificar possíveis obstáculos.

Caso o sistema identifique que há um veículo ou um pedestre à frente, muito próximo em relação à velocidade de tráfego, um alerta é emitido no painel para que o motorista reduza a velocidade a fim de mandar um espaço seguro de de frenagem.

Se o veículo à frente acionar o freio de forma repentina, além do alerta, o sistema de freios poderá ser acionado de forma autônoma caso o motorista não consiga frear o veículo a tempo.

É importante ressaltar que, para reduzir o risco de atuação do AEB durante uma situação normal de trânsito, o sistema só atuará de forma autoônoma se perceber que o motorista não reduziu a velocidade nem freou a tempo.

Vantagens do AEB

Como o sistema, é possível proporcionar maior segurança aos ocupantes dos veículos envolvidos e de pedestres, por meio da redução da possibilidade de colisão traseira, devido à frenagem autônoma evitar o impacto, além de reduzir também os efeitos da colisão, graças à redução da velocidade no momento do acidente. E por fim, o AEB é capaz de diminuir o número de atropelamentos ou de efeitos desse tipo de incidente.

Fonte: Cesvi Brasil

Publicidade

Artigos Recentes

Publicidade
Publicidade