Detalhamos as versões do Virtus para eleger o melhor custo/benefício

Lançado em janeiro deste ano, O Virtus chegou nas concessionárias da Volkswagen em fevereiro e rapidamente acelerou para a liderança entre os sedãs compactos. A combinação de um visual moderno, porém sem exageros, motorização forte e eficiente, espaço interno maior até que de muitos sedãs médios e uma lista generosa de equipamentos de série podem explicar o sucesso do Virtus nesse primeiro semestre de mercado.

Nas últimas matérias que publicamos aqui e nas redes sociais, muitos leitores apareceram com dúvidas sobre qual versão comprar do Virtus, qual opção entrega mais custo/benefício e se os opcionais valiam a pena. Pois bem, nessa matéria de hoje vamos mostrar o que cada uma das versões oferece e quais equipamentos podem ser incluídos em cada uma delas. Dessa forma, você poderá ter certeza sobre qual Virtus vai caber em sua garagem (bolso).

O Virtus tem três versões de acabamento e duas opções de conjunto mecânico: MSI, Comfortline 200 TSI e Highline 200 TSI. Todas têm um bom nível de equipamentos de série, como direção com assistência elétrica, ar-condicionado, vidros elétricos nas quatro portas (os dianteiros possuem função “um-toque” para fechamento e abertura), travas elétricas, faróis de dupla parábola e chave tipo “canivete” com controle remoto.

Também estão incluídos de série computador de bordo, para-sóis iluminados para motorista e passageiro, tomada de 12V no console central, suporte para celular no painel com entrada USB para carregamento, regulagem de altura para o banco do motorista, entre outros.

Como opcional para o Virtus MSI estão disponíveis dois pacotes: o primeiro, “Connect” (R$ 2.950), inclui sistema de infotainment Composition Touch, I-System, volante multifuncional, “Park pilot” (sensores de estacionamento traseiros), Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) e roda de liga leve de 15” “Scimitar” com pneus 195/65 R15. Com esse pacote, o preço fica em R$62.940. Você pode escolher apenas o itens de segurança no pacote “Safety” (R$ 1.050), traz o Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) e todos os recursos atrelados a ele, como ASR, EDS e HHC. Apenas com esse pacote, seu Virtus MSI sai por R$ 61.040. Lembrando que isso é com pintura sólida (preta). As pinturas metálicas acrescentam R$ 1.450 no valor. Portanto, seu Virtus MSI com motor 1.6 e câmbio manual com todos os opcionais disponíveis sai por R$ 64.390.

O modelo Comfortline é puxado pelo motor 200 TSI e câmbio automático de seis velocidades. Ele vem equipado com banco traseiro bipartido, coluna de direção ajustável em altura e distância, Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC), faróis de neblina com função “cornering light”, sistema de infotainment Composition Touch com tela de 6,5” sensível ao toque, rodas de liga leve de 15”, sensores de estacionamento traseiros, ajuste elétrico dos retrovisores externos, descanso de braço dianteiro com porta-objetos, lanternas traseiras escurecidas, volante multifuncional, entre outros recursos.

A configuração intermediária conta com dois pacotes opcionais: o primeiro, “Tech I” (R$ 2.200), inclui sistema “Kessy” para abertura e fechamento das portas sem uso da chave e partida do motor por botão no console central, controlador automático de velocidade de cruzeiro, sensores de estacionamento dianteiros, retrovisor interno eletrocrômico, volante multifuncional com “shift paddles”, sensores de chuva e crepuscular e função coming/leaving home e rodas de liga leve de 16” “Nick” com pneus 205/55 R16.

O segundo pacote, “Tech II” (R$ 3.500), inclui aos itens do anterior o sistema “RKA” (indicador de pressão dos pneus), ar-condicionado digital Climatronic, sistema “s.a.v.e” de divisão do porta-malas (e rede porta-objetos), porta-luvas refrigerado, câmera traseira, detector de fadiga, sistema de frenagem automática pós-colisão, volante multifuncional revestido de couro com “shift paddles” e detalhes em preto brilhante na cabine.

Dessa forma, seu Virtus com todos os opcionais disponíveis e mais a cor metálica sai por R$ 78.440.

Topo de linha, essa versão soma aos itens de série da opção Comfortline os recursos: sistema “Kessy” de abertura das portas sem uso da chave e partida do motor por botão, controlador automático de velocidade de cruzeiro, ar-condicionado “Climatronic” (com ajuste digital de temperatura), banco do passageiro dianteiro rebatível também para frente, descanso de braço dianteiro com porta-objetos, porta-luvas refrigerado, faróis de neblina com função “cornering light” (luz de conversão estática), luz de condução diurna (DRL) em LED ao lado dos faróis de neblina, rodas de liga leve de 16”, sobretapetes, volante multifuncional revestido de couro com “shift paddles” e detalhes em preto brilhante na cabine.

Como opcionais, o Virtus Highline oferece três pacotes. O primeiro traz revestimento dos bancos em couro sintético Native. O segundo, “Tech High”, inclui sensores de estacionamento dianteiro, sistema “RKA” de indicador de pressão dos pneus, sistema “s.a.v.e” de divisão do porta-malas (e rede porta-objetos), antena “tubarão”, câmera traseira para auxílio no estacionamento, detector de fadiga, espelho retrovisor eletrocrômico, faróis com a função coming/leaving home, Sistema de Frenagem Automática Pós-Colisão, sensores de chuva e crepuscular e sistema de infotainment “Discover Media” de 8 polegadas. O terceiro pacote, “Technology”, adiciona ao anterior o Active Info Display e rodas de liga leve de 17” “Razor”, com pneus 205/50 R17. Com todos os opcionais, o Highline fica por R$ 87.040.

Diante de tantas possibilidades de opcionais, é comum que o cliente fique em dúvida sobre as versões que vai escolher. O primeiro passo é saber o tamanho do seu orçamento. Claro que a versão topo de linha com todos os opcionais sempre será a melhor. Mas isso não quer dizer maior custo/benefício. Se o valor da Highline não entra em sua garagem, sugerimos a versão Comfortline com o pacote Tech I, que fica na casa dos R$ 75 mil e vem recheada de equipamentos e com o ótimo conjunto mecânico 200 TSI de 128 cv de potência, 20,4 kgfm de torque, distribuídos pela eficiente transmissão automática de seis velocidades. Pode ir nessa que vale o que custa!

Publicidade

Artigos Recentes

Publicidade
Publicidade