Como a internet 5G vai mudar nossos carros e também a forma de dirigir

Durante o Mobile World Congress, na Espanha, a Qualcomm ampliou o que ensaiou na CES, em janeiro. A notícia mais esperada entre os tecnomaníacos da indústria automotiva foi lançada e a fabricante dos famosos processadores Snapdragon vai oferecer chips que dispensarão, por exemplo, nas residências, o uso do cabeamento da internet lenta. Acho também que a fibra ótica, nesse caso, poderá virar coisa do passado. A rede 5G está no ar e vai operar como injeção direta no motor da telefonia, nos novos carros que estão chegando.

LEIA MAIS

+ Nissan “mostra o invisível” e confirma o Kicks híbrido para 2020 no Brasil

+ Se você gosta de tela grande, vai se amarrar no M-Byte, da Byton

+ Ford lança a C-V2X, espécie de anjo da guarda do trânsito

Os automóveis vão se comunicar de forma instantânea, sem falhas de sinais (comum na rede 4G que utilizamos). A segurança, os autônomos e dezenas de componentes do veículo conectado à mobilidade estarão associados ao 5G. A Ford, na CES, já provou isso e nós revelamos por aqui a plataforma C-V2X como comunicação do veículo conectado ao celular e estará integrado nos novos automóveis da marca. A intervenção do 5G nas próximas gerações de multimídia, por exemplo, transformará de vez o veículo em um smarthphone gigante sobre rodas. Um modem em movimento, wi-fi a bordo, com a assinatura da maior empresa do mundo na fabricação de dispositivos móveis.

Vai ficar fácil entrar no carro e ser reconhecido pelo sistema. O chip inteligente também vai funcionar à distância, como já acontece com o “e-sim” da operadora Claro, que disponibiliza o serviço de conexão do celular com o smartwatch. Um novo salto será dado com a 5G e sua expansão pelo mundo. No Brasil, a rede começará disponível para a banda fixa.

Conceito de sedã esportivo Nissan IMs fez estreia mundial no Salão de Detroit 2019

Quanto aos veículos o que esperar mais? As montadoras guardam a sete chaves suas estratégias para avançar no tema, mesmo que só aconteça por volta de 2021. O presidente da Volkswagen do Brasil, Pablo Di Si, falou sobre o acordo global com a Microsoft, parceria para desenvolver os carros conectados da marca. Um time de engenheiros está trabalhando no tema e desenvolvendo produtos, reforça o executivo.

No Salão de Frankfurt, de 14 a 22 de setembro, a VW vai apresentar a família ID (lembram da Kombi do futuro?), a nova geração de carros conectados, elétricos e autônomos. Mas o que esperar para o país? “Para o Brasil teremos seis carros elétricos ou híbridos nos próximos cinco anos, isso já está certo, mas o futuro também dependerá da demanda do mercado”.


O 5G, o carro conectado, o auto como smarthfone está sendo desenvolvido, repete DI Si e afirma, por exemplo, que os engenheiros e pesquisadores estão trabalhando na nova geração de info entertainment ainda mais intuitivos e fáceis de usar.

Publicidade

Artigos Recentes

Publicidade
Publicidade