Curiosidades

Chevrolet mostra o passo a passo da produção de seus porta-malas

A Chevrolet abriu a sua linha de produção para mostrar como são feitos os seus porta-malas. Um dos itens mais valiosos na hora de decidir qual modelo escolher, o espaço é de suma importância para quem precisa transportar muitas coisas.

LEIA MAIS

+ Chevrolet amplia sua rede para elétricos. Recife também é contemplado

Enquanto hatches e SUVs geralmente oferecem a flexibilidade da cobertura móvel e dos bancos rebatíveis, os sedãs agradam quem busca um compartimento isolado da cabine e de proporções bem generosas, por exemplo.

“Observamos que o cliente valoriza o aproveitamento do espaço para bagagens. Por isso, nos modelos da Chevrolet, o porta-malas é projetado com base no tipo de bagagem que o público-alvo do veículo costuma transportar”, explica Alex Santos, engenheiro de Integração da GM América do Sul.

A relação entre altura, largura e profundidade do porta-malas determina se o espaço é capaz de acomodar malas de diferentes tamanhos, um carrinho de bebê ou uma bicicleta.

Na hora de organizar o bagageiro, o ideal é posicionar as cargas mais pesadas na base, distribuindo-as sobre o eixo das rodas, garantindo a melhor dinâmica veicular e evitando que a frente do carro e os faróis empinem.

Se as cargas tiverem densidade semelhante, prefira acomodar aquelas de maior volume primeiro, encaixando objetos menores depois. O peso total, somando passageiros e bagagem, não pode superar o máximo recomendado para o automóvel.

No porta-malas, alguns modelos Chevrolet oferecem ganchos para pendurar sacolas, assoalho de altura regulável e porta-ferramentas – recursos que facilitam o dia a dia do usuário. Entre os acessórios originais, destacam-se a bolsa organizadora, a rede porta-objetos e o tapete de bandeja impermeável.

Teste é padronizado

Apesar de o consumidor observar o aproveitamento do espaço para bagagens, a métrica utilizada para definir o espaço de um porta-malas é o seu volume. A medição utiliza-se de um método amplamente difundido no mercado, que é o sistema VDA. Blocos com um litro de capacidade cúbica são devidamente acomodados no compartimento de carga. É permitido otimizar a distribuição dos blocos, conforme o padrão ISO 3832.

A medição é feita virtualmente e há depois uma validação física, e a disposição dos blocos não pode interferir no processo de abertura e fechamento da tampa ou na posição da cobertura móvel do bagageiro, por exemplo.

Para mostrar como é feito o teste, levamos o Novo Onix ao Campo de Provas da GM, em Indaiatuba. Ao todo, são acomodados 303 blocos de um litro no porta-malas do hatch, já no do sedã, essa capacidade sobe para 500 blocos. Assista ao vídeo no link abaixo.

ME CONHEÇA MAIS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Sua assinatura não pôde ser validada.
Você fez sua assinatura com sucesso.

Lista VIP

Assine nossa lista e receba notícias em primeira mão.