Lançamentos

BMW inicia a produção do seu sedã mais luxuoso de todos os tempos

O novo Série 7 é o sedã mais luxuoso da montadora alemã e teve sua produção iniciada na planta de Dingolfing (Alemanha). Cerca de três anos e meio após a sexta geração ter sido lançada, o principal modelo da BMW foi completamente revisado e recebeu mais luxo e tecnologia.

LEIA MAIS

+ BMW X7 representa o máximo de luxo entre os SUVs bávaros

+ BMW inicia pré-venda do nervoso BMW M2 Competition por R$ 377.950

Desde que a produção da primeira Série 7 começou, em 1977, mais de 1,9 milhão de unidades foram construídas em Dingolfing. Desde o início, o mercado global foi crucial para o sucesso do sedã de luxo. O BMW Série 7 é o carro mais exportado da fábrica na Baviera. No ano passado, mais de 90% de todas as unidades produzidas foram exportadas. O mercado chinês desempenha um papel especialmente importante para o modelo: em 2018, 44% das vendas globais foram entregues a clientes na China.

Novo design exterior

As partes dianteira e traseira redesenhadas dão ao novo BMW Série 7 uma aparência ainda mais exclusiva. Na frente, a grade do tipo “rim” foi aumentada e contrasta com os faróis finos. Como resultado, o BMW Série 7 é claramente reconhecível como parte do novo segmento de luxo da BMW e se encaixa com a linguagem de design do BMW Série 8 (cupê) e do BMW X7 (SUV).

O design traseiro também traz novos detalhes: as luzes traseiras tridimensionais mais imponentes contam com a tecnologia LED. Sob a barra cromada entre as duas luzes traseiras, existe agora uma faixa de luz fina de seis milímetros, que cria um acento discretamente iluminado quando as luzes diurnas são ligadas e produz um design noturno distinto.

O BMW Série 7 continuará disponível em duas variantes de carroçaria, incluindo a versão de distância entre eixos longa, maior em 14 cm. Na China, 80% dos clientes optam por esta versão, que oferece ainda mais espaço na parte traseira.

No interior, mais requinte e conforto com novos materiais utilizados, como o couro Nappa para os bancos. A tendência de digitalização dos instrumentos dessa geração foi ampliada com telas de 12,3” para o painel de instrumentos e 10,25” para a central multimídia, sendo esta última sensível ao toque. Além disso, é possível de incorporar duas telas nas costas dos bancos dianteiros, para facilitar o acesso dos passageiros de trás aos conteúdos do infotainment. Carro de patrão que tem motorista.

A motorização conta com três níveis de potência para o motor diesel de 3.0 de seis cilindros em linha que surge nas versões 730d (265cv, versões de tração traseira ou tração integral XDrive), 740d XDrive (320cv) e 750d XDrive (400cv). São os mesmo números do atual BMW Serie 7.

Já a motorização a gasolina do novo BMW Série 7 foi modificada. Enquanto o motor de oito cilindros do 750i ganhou 80cv, atingindo os 530cv, a versão 760i tem o enorme motor V12, que perdeu 15cv, ficando assim com 585cv de potência.

A maior novidade sob o capô, porém, está na versão híbrida, que mudou de nome 740e para 745e. Essa mudança se reflete no aumento das potências deste modelo que combina um bloco a gasolina de seis cilindros com um motor elétrico de 113cv. A potência combinada alcança agora os 394cv (+68cv) e, como a bateria a passar dos 9,8kWh para os 12kWh, a autonomia elétrica foi melhorada, podendo rodar entre 50km e os 58km só na eletricidade. Com essa motorização híbrida, o gigante pode ostentar um consumo de 38,4 km/l, segundo a BMW, algo impensado nesse segmento de luxo.

Baixe meu E-book

Inscreva-se para receber seu e-book gratuitamente

Acompanhe nosso canal

RET Audi Q5
RET TCross