Publicidade

BMW 330e, híbrido que aposta na esportividade, tecnologia e elegância

Sol, praia, férias, sedã. Acho que deveria estampar isso na camisa. Nesse roteiro coube o prazer de dirigir o 330e. Aposte nos atributos do carro que inspira esportividade e está conectado com a corrente híbrida dos modelos da BMW. O importado, produzido no México, é um convite ao modo de direção do três volumes que o brasileiro, apaixonado por carros, não pode esquecer.

LEIA MAIS

+ BMW X3 M40I E X4 M40I CHEGAM AO MERCADO COMO OS BRASILEIROS MAIS POTENTES

O 330e quase dirige por você na estrada. Um quase bem distante, vale destacar. E nesse ponto, mas a eletrônica reina, ajuda. As interferências do que vou chamar se zona de segurança funcionam como redoma de proteção para o condutor e ocupantes. Controle de faixas, perímetro, auxílio de condução para os mais desatentos e o head up display (que projeta infos além do velocímetro e GPS) na altura dos seus olhos, atrás do volante. E tem mais com a “sentada” esportiva dos bancos, direção direta e conectada ao seu posicionamento de condução e duas telas (a do cluster e a da mídia central com Carplay e Android auto Wi-Fi).

Como é divertido dirigir com a pegada da tração traseira! Exclamo isso. Assim como não posso esquecer dos sistemas assistentes de condução semiautônoma. Liberdade do volante? Não. O BM é capaz de seguir distância e velocidade do automóvel que estiver na frente, reconhecer e permanecer nas faixas de rodagem e até refazer percursos em marcha ré de forma automática. O carro vai além desse visual estiloso que contribui para a gama completa ser líder do segmento no Brasil. Ah! Também não dá para deixar de citar que comecei a escrever o artigo em Los Angeles. O 330e serviu à nossa equipe durante a cobertura do L.A Auto Show.

O que traduzir de forma direta. A suspensão é massa (termo que utilizo para elogiar) e o sedã vem equipado com a última geração da tecnologia eDrive com a motorização plug-in híbrida. No modo totalmente elétrico, o BMW possui uma autonomia de até 66 km. Carregue fácil e não visite o posto de combustível para os seus trechos urbanos. Coisa do trabalho. A bateria é reparável e possui uma garantia de seis anos. Além disso, o sedã conta com um tanque de combustível de 40 litros a gasolina que colabora para fazer aquela trip no fim de semana. Fiz isso em L.A.

A montadora, na ficha técnica, diz o seguinte: o sistema plug-in possui uma potência máxima combinada de até 292 cavalos e 420 Nm de torque. A aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 5,9 segundos com uma velocidade máxima de 230 km/h.

Com três modos de condução, o condutor pode escolher usar apenas a energia que capturou pela tomada até uma determinada velocidade. No Hybrid, a velocidade máxima é de 110 km/h livre de emissões. Já no Eletric, a máxima apenas utilizando o motor elétrico sobe para 140 km/h. Enquanto o Battery control mantem ou mesmo recarrega a bateria para um nível “definido” pelo motorista.

Um recurso novo é o XtraBoost, ativado por meio do modo Sport, que libera 40 cavalos adicionais aos 252 cavalos de potência combinada dos motores elétrico e a combustão, mantendo essa potência máxima por dez segundos e entregando uma aceleração mais esportiva. O carro é progressivo, quanto mais rápido, mais firme. E a suspensão não desaponta, a frenagem firme é outro acerto alemão.

Usando tudo isso você curte o 330e pela eletrônica porque no design a gente já conhece bem. Fácil destacar nas ruas uma das estrelas globais da Bavária, na Alemanha. Lembrando que outra parte da família é montada no Brasil, em Santa Catarina.

Ficha técnica

Motor a combustão – 2.0
Potência – 184 cv
Torque – 30,6 kgfm
Motor elétrico – 12 kWh
Potência – 113 cv
Torque – 42,8 kgfm
Potência combinada – 292 cv
Autonomia elétrica – 66 km
Velocidade máxima modo elétrico – 140 km/h
Pneus – aro 19 – 225/40 na dianteira e 255/35 na traseira
Consumo elétrico – 15,1 kWh/100 km
Preço R$ 375 mil

Publicidade

Artigos Recentes

Publicidade