Toyota confirma versões híbridas para Hilux e SW4 no Brasil nos próximos anos

Por Jorge Moraes (@jorgemoraes)

Puerto Varas – No destino turístico que é um dos mais belos do Chile, ao Sul da capital Santiago, as marcas japonesas Toyota e Lexus promoveram um seminário de dois dias com foco no futuro híbrido, nas propostas de mercado e na tecnologia. Um caminho sem volta que começou faz tempo, desde a segunda metade dos anos 1990, com o Prius e seguiu adiante para toda gama dos modelos de luxo do fabricante que declarou: ao menos, uma versão de cada produto Toyota será híbrida nos próximos anos.

O novo Prius guardado para o Salão de Los Angeles, não apareceu por lá, mas a notícia que ligou o radar da nossa reportagem foi a base da informação do coordenador regional da Toyota e diretor comercial da empresa na Argentina, Gustavo Salinas: em Zárate, planta da Hilux e SW4, até 2025 um modelo de cada, picape e o utilitário-esportivo serão híbrido. A marca já começou o trabalho de desenvolvimento na sede portenha e agora é só esperar o tempo e a nova geração eletrificada.

A Toyota como empresa amiga do meio ambiente quer multiplicar esse título e o caminho é oferecer a possibilidade da tecnologia assim como substituir, aos poucos, o veículo com propulsor alimentado apenas pelo combustível fóssil com a mistura do motor elétrico associado ao de combustão flex. Salinas citou o exemplo da engenharia brasileira que apresentou o Prius flex.

E cá pra nós assim será com o novo Corolla, com previsão de chegada para o fim do primeiro semestre do próximo ano. Uma das versões, o Altis, está garantida como híbrido, mas a montadora estuda, nesse caso, ter mais um modelo, quem sabe um XEi “Plus”. Informações que eles não comentam sobre o tema, silenciam. A proposta mecânica, que funciona para o Prius, servirá de base para toda gama. No Brasil, em 2019, por exemplo, os carros da Lexus serão 100% híbridos.

A defesa pelo uso da tecnologia híbrida não se dá pelo fato do Prius ser o mais vendido no  mundo mas pela lógica na atual falta de logística ou estrutura para garantir o abastecimento dos carros do tipo Plug in, elétricos, que precisam da tomada para recarregar e completar grandes percursos. O carro híbrido com a força regenerativa faz a diferença no momento. Para se ter referência como base de consumo, o Prius 1.8 chega a fazer uma média de 19 Km/l na cidade. Fizemos isso no percurso de teste drive. O que se questiona é uma autonomia mais robusta para o sedã no modo elétrico ele não passa dos 2 Km.

Hilux e SW4
Híbridos em um futuro bem próximo, porque 2025 é o prazo máximo para a virada de chave. Certamente a renovação dos carros virá um pouco antes. A dupla líder de vendas das categorias mid size de picape e utilitário-esportivo sempre figuram na lista de intenção de compra de quem pensa nesse tipo de veículo. Na picape, o fabricante oferta a opção do motor flex 2.7 VVT-i e o 2.8 diesel com tração 4X4 e suas versões. O mesmo serve para a SW4 que compartilha o powertrain com a “dona da caçamba”.

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será divulgado.
Campos marcadas com * são obrigatórios