T-Cross, Polo GTS, Virtus GTS e Tarok: apostas da Volks para sacudir o mercado

O Salão do Automóvel de São Paulo deu uma prova de que os próximos meses devem ser de muita intensidade para a Volkswagen no Brasil. Com a meta de assumir a liderança do mercado nacional nos próximos anos, a montadora alemã prepara uma série de lançamentos que prometem sacudir vários segmentos. O primeiro será o T-Cross, mas teremos ainda o retorno da linha GTS com o Polo e o Virtus e a esperada picape média/compacta Tarok.

LEIA MAIS

Com o T-Cross, a Volks entra no disputado mercado dos SUVs compactos no Brasil

Picape Tarok é apresentada pela Volkswagen no Salão de São Paulo

Volkswagen apresenta versões GTS do Polo e do Virtus no Salão de São Paulo

Renegade que se cuide!

A Volks quer entrar no segmento de SUV compacto com força suficiente para incomodar os líderes. E para isso aposta todas as fichas no T-Cross. O modelo será produzido sobre a Estratégia Modular MQB, que é o mais moderno conceito de produção do Grupo Volkswagen no mundo. No Brasil, o T-Cross terá exclusivamente motores TSI (1.0 e 1.4). Os preços devem partir da casa dos R$ 80 mil e chegar até R$ 115 mil na versão topo de linha com todos os equipamentos opcionais, como teto solar, central multimídia de 8 polegadas e painel de instrumentos digital. Mas isso é apenas estimativa. Como a produção no Brasil começa apenas em janeiro, as primeiras unidades devem começar a sair das lojas no segundo trimestre do 2019.

O T-Cross oferecerá itens exclusivos no segmento, como o painel totalmente digital (Active Info Display), seletor de perfil de condução, Controle de Estabilidade (ESC) de série, bloqueio eletrônico do diferencial, Park Assist 3.0, suporte para celular no painel, quatro entradas USB (inclusive para o banco traseiro), iluminação da cabine em LED e acabamento com apliques no painel. Também contará com faróis full-LED, seis air bags, saída de ar-condicionado para o banco traseiro e teto solar panorâmico, entre outros recursos.

O motor 250 TSI Total Flex gera potência de até 150 cv (110 kW), com gasolina ou etanol, a 4.500 rpm. O torque máximo, também com ambos os combustíveis, é de 250 Nm (25,5 kgfm) – será o maior torque da categoria. Esse motor será combinado exclusivamente à transmissão automática de seis marchas com função Tiptronic e aletas (“shift paddles”) para trocas no volante.

Já o motor 200 TSI Total Flex desenvolve potência de até 128 cv (94 kW) a 5.500 rpm, com etanol – com gasolina, são 116 cv (85 kW), à mesma rotação. O torque máximo é de 200 Nm (20,4 kgfm), com gasolina ou etanol, sempre na faixa de 2.000 a 3.500 rpm. Esse motor poderá ser combinado à transmissão manual ou à automática com função Tiptronic (também com as aletas no volante), ambas de seis marchas.

 O T-Cross mede 4.199 mm de comprimento e 1.568 mm de altura (9 mm mais alto que o T-Cross europeu). A distância entre os eixos do modelo que será produzido no Brasil é maior: 2.651 mm (88 mm a mais do que a distância entre-eixos do T-Cross europeu). A capacidade do porta-malas do T-Cross é variável entre 373 e 420 litros. O encosto rebatível do banco do passageiro dianteiro oferece ainda mais flexibilidade.

Os compactos esportivos

A linha GTS fez muito sucesso no Brasil nos anos 1990 e estará de volta no próximo ano com o Polo e o Virtus. Os dois modelos foram apresentado durante o Salão de São Paulo com a assinatura “Concept”, mas é fato que os dois compactos chegarão às ruas em 2019 com aquele mesmo visual (e que belo visual).

Polo e Virtus na versão GTS podem ser chamados de esportivos? No estilo sim e na mecânica também. Esportivos compactos, é verdade. Um segmento que só tem um representante fabricado por aqui, o Sandero R.S.

Os dois GTS vêm equipados com motor 1.4 TSI de 150 cv e câmbio automático de seis velocidades. Havia a expectativa para o teto solar, entretanto, pelo menos nos conceitos, esse equipamento ainda não foi integrado.

O forte da linha GTS, além do motor turbinado já conhecido pelos brasileiros no Golf, Tiguan e, em breve, no T-Cross, está no estilo. Inspirado na linha GTI do Polo na Europa, o nosso GTS será facilmente identificado pelo friso vermelho que une os faróis e pelas letras GTS estampadas por todos os cantos do carro.

Os preços são as maiores dúvidas sobre os dois lançamentos. Levando em consideração que as versões topo de linha do Polo e do Virtus ficam na casa dos R$ 80 mil, com os opcionais, a linha GTS deve chegar na faixa de R$ 95 mil para o Polo e beirando os R$ 100 mil no Virtus.

Rival de peso para a Toro

A Fiat Toro nada a largas braçadas no segmento das picapes do Brasil. O utilitário da marca italiana ousou no estilo e agradou aos brasileiros em cheio, também por suas medidas compactas. A Volkswagen vai seguir essa mesma fórmula com a Tarok, que deve chegar em 2020.

Mais uma integrante da plataforma MQB, podemos dizer que a Tarok é a versão com caçamba do T-Cross. Com essa informação, podemos supor que a picape alemã virá com versões semelhantes ao SUV compacto. Isso quer dizer que os motores 200 TSI e 250 TSI devem ser os escolhidos para puxar a Tarok. Com o tempo, é possível que venha uma versão esportiva com motor 350 TSI, mas isso dependeria da receptividade do modelo no mercado.

Apresentada como conceito no Salão de São Paulo, a Tarok foi um dos carros mais fotografados da mostra, o que aponta para a expectativa dos consumidores para o lançamento. Talvez por isso, a Volks acelere a finalização da versão de produção até para o ano que vem, quem sabe a ser apresentada mundialmente no Salão de Frankfurt em setembro de 2019.

One answer

  1. Antonio Emerson Tavernard do Vale souza
    30 de novembro de 2018 at 21:21

    Gostaria de compra um carro desta marca pois tenho um gol e estou pensando em posso ir um novo gostei muito do polo

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será divulgado.
Campos marcadas com * são obrigatórios