Novo Jetta: entenda como um motor 1.4 consegue entregar tanto desempenho

Quando o novo Jetta foi lançado apenas com a opção de motor 1.4 TSI, teve muita gente estranhou o fato de a opção 2.0 TSI não ser apresentada. A Volks ainda não confirma, mas já sabemos eu a versão Highline com o mesmo motor do Tiguan (350 TSI de 220 cv) chegará em 2019. Mas será que o 1.4 TSI (ou 250 TSI) não dá conta do sedã médio de mais de 1,3 toneladas? Já testamos e podemos garantir que o motor sobra. Vamos explicar o porquê.

LEIA MAIS SOBRE O JETTA 2019

– Jetta, Corolla ou Civic: comparamos as versões topo de linha dos três sedãs médios
– Novo Jetta chega ao Brasil em patamar elevado e preço partindo de R$ 109.990
– Novo Jetta R-Line: acelerei a versão top de linha do sedã renovado da Volks
– Novo Jetta entrega tecnologia de ponta para o conforto e entretenimento
– Novo Jetta é referência no uso da tecnologia para a segurança dos passageiros

O motor 1.4 TSI é produzido pela Volkswagen na Fábrica de São Carlos (SP) e desenvolve potência máxima de 150 cv (etanol ou gasolina) a 5.000 rpm. Seu torque máximo, de 250 Nm (25,5 kgfm), surge a apenas 1.400 rpm e se mantém plano até 3.500 rpm, com gasolina ou etanol.

MOTOR 250 TSI

A manutenção do alto torque em baixas rotações significa maior sensação de performance para o motorista, respostas rápidas aos comandos do acelerador e segurança em retomadas de velocidade e ultrapassagens. Resumindo: mais prazer ao dirigir.

A transmissão automática de seis marchas (com conversor de torque) com função Tiptronic faz bem o seu trabalho na distribuição do torque. Com esse conjunto mecânico, o novo Jetta alia desempenho, conforto e economia de combustível. O sedã Volkswagen acelera de 0 a 100 km/h em 8,9 segundos e tem velocidade máxima de 210 km/h, independentemente do combustível. Em nossos testes, o consumo ficou em 10,9 km/l na cidade e 14 km/l na rodovia (com gasolina).

Vale ressaltar o sistema Start/Stop de série em todas as versões do modelo. Essa tecnologia desliga o motor durante a marcha lenta quando o pedal do freio é pressionado (por exemplo, quando se espera no sinal vermelho). Quando o pedal do freio é liberado, o motor reinicia sem problemas. Isso se traduz em maior economia de combustível, especialmente no trânsito urbano.

O condutor ainda conta com o recurso de Seleção do Modo de Direção, que  inclui quatro opções: “Eco”, que privilegia a economia de combustível, “Normal”, que mantém os ajustes de fábrica, “Sport”, para uma condução mais esportiva, e “Individual”, no qual é possível ajustar os parâmetros de direção, transmissão e outros assistentes de condução da forma que o condutor preferir.

Verdade que o 250 TSI dá conta do recado com boa margem. Mas a estreia do 350 TSI no novo Jetta em 2019 (provavelmente no segundo semestre) será muito bem-vinda.

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será divulgado.
Campos marcadas com * são obrigatórios