Jetta, Corolla ou Civic: comparamos as versões topo de linha dos três sedãs médios

Corolla e Civic reinam absolutos no segmento de sedãs médios há muitos tempo. Nos últimos anos, então, o Toyota não vê concorrentes no retrovisor. A Volkswagen quer incomodar essa “farra” japonesa com o novo Jetta. O sedã subiu muito de patamar: entenda como mais tecnologia e refinamento. Com isso, como não poderia ser diferente, o preço foi para as alturas.

Mesmo estando bem mais caro que o antigo Jetta, o novo está dentro do patamar de seus rivais japoneses nas versões mais caras. Não podemos comparar a novidade da Volks com as versões de entrada de seus concorrentes. Isso porque, a montadora alemã colocou de série quase tudo que os rivais nipônicos oferecem apenas como opcionais.

Tanto na versão Comfortline como na R-Line, o único item opcional é o teto solar. Mas, por enquanto, vamos esquecer a versão mais barata do Jetta e focar na mais cara, que custa R$ 119.990. Vamos compará-la com o Toyota Altis e o Civic Touring para ver quem oferece mais por menos. Faça sua aposta.

Honda Civic Touring 1.5 turbo R$ 126.600

A chegada da décima geração do Civic teve o mesmo efeito na Honda que o novo Jetta para a Volks. O sedã médio japonês mudou bastante de visual (bem ousado aliás), ganhou tecnologia e, principalmente, um motor moderno, com turbo e injeção direta de combustível.

Nessa versão topo de linha, o Civic de 173 cv de potência e 22, 4 kgfm de torque vem com transmissão do tipo CVT com paddle shifts para mudança sequencial de 7 marchas (simuladas).

Entre os itens de segurança, destaque para o assistente de tração e estabilidade, assistente de partidas em aclive, seis airbags (frontais, laterais e de cortina), câmera de ré multivisão (três vistas) com linhas dinâmicas e assistente para redução de ponto cego.

Nos itens de acabamento, a lista também é interessante, como lanternas traseiras em LED, limpador de para-brisa com sensor de chuva, Conjunto óptico com DRL em LED, Faróis Full LED com acendimento automático (sensor crepuscular), Faróis de neblina com lâmpada de LED, Chave tipo canivete com função Smart Key com controle remoto, abertura do porta-malas, abertura e fechamento dos vidros e do teto solar, partida à distância e com travamento e destravamento das portas por sensor aproximação na chave e Teto solar com função One-Touch, volante e bancos em couro e rodas de liga leve de 17 polegadas.

Tecnologia também não falta na versão Touring. Tudo de série: freio de estacionamento eletrônico, Sensores de estacionamento dianteiros e traseiros com aviso sonoro e luminoso, Piloto automático (Cruise Control), Coluna de direção com ajuste de altura e profundidade, Ar-condicionado Digital com a função de ajuste automático de temperatura + Dual Zone, Espelho retrovisor eletrocrômico, Botão de partida do motor (START/STOP), Display multimídia com tela de 7” multi-touchscreen com navegador GP e Painel digital TFT 7″ de alta resolução.

Toyota Corolla Altis 2.0 (R$ 118.990)

O mais barato do trio, o Corolla Altis também é o menos equipado da turma. Não tem de série, por exemplo, sensor de estacionamento dianteiro e luz de LED para os faróis de neblina. Esses itens são vendidos como acessórios.

Isso não quer dizer que o Altis não pode ser chamado de “completão”. Ele tem ar-condicionado de duas zonas; limpador do para-brisa com sensor de chuva; banco do motorista com regulagem elétrica; espelhos retrovisores com rebatimento elétrico e rodas diamantadas de 17” com acabamento na cor cinza. Esses itens são exclusivos da versão topo de linha.

O modelo já apresenta em versões intermediárias itens, como chave presencial e botão de partida do motor; espelho retrovisor interno eletrocrômico; sensor de estacionamento traseiro; controle de velocidade de cruzeiro; antena barbatana de tubarão; faróis de neblina; acendimento automático dos faróis; painel de instrumentos com tela TFT colorida de 4,2”; sistema multimídia Toyota Play com tela LCD de 7” sensível ao toque e áudio compatível com DVD player, CD-R/RW, MP3, WMA e AAC e rádio AM/FM; sistema de navegação GPS; TV digital e câmera de ré; Bluetooth; quatro alto-falantes e dois tweeters.

Entre os itens de segurança, destaque para os 7 airbags, controles de tração e estabilidade, além de assistente de rampa.

Na mecânica, o Corolla é o único do trio que ainda aposta no motor aspirado. O 2.0 de 153 cv de potência e 20,7 kgfm de torque é acoplado ao câmbio CVT que simula 7 velocidades com paddle shifts. É o que tem menos torque da turma, mas compensa isso com um acerto de suspensão que os concorrentes não conseguem imitar.

Volkswagen Jetta R-Line 1.4 TSI (R$ 119.900)

O mais novo da turma é também o mais bem equipado. Tem o menor motor dos três em volume e potência, mas é o que entrega mais força (24,5 kgfm de torque). É o único a ter transmissão automática “tradicional”, com seis velocidades.

Como a lista de equipamentos de série é ampla (único opcional é o teto solar por R$ 4.990), vamos destacar o que o Jetta tem a mais que os seus concorrentes, como o controle adaptativo de distância e velocidade com função de frenagem de emergência (ACC), Sistema de som “Discover Media” com radio, tela touchscreen de 8″, leitor de CD, App-Connect e sensor de aproximação, Active info display – Painel digital programável e sensor, Manual Cognitivo – que usa IBM Watson para responder aos motoristas questões sobre o veículo e detector de fadiga.

Quem vence?

Pelas listas de equipamento de série, nota-se que o Jetta R-Line é disparado o mais equipado. O Civic Touring tem a mais o teto solar de série, mas cobra isso na fatura do preço total do carro. Colocando o mesmo equipamento no Volks, o valor ainda fica abaixo do que a Honda cobra pelo sedã. O que o Civic tem que nenhum outro do confronto tem é o controle remoto para ligar o motor à distância.

O Corolla não tem nenhum item exclusivo que se destaque. A marca se garante muito na boa fama que tem no mercado nacional e no poder de revenda de seu sedã.

Pela questão de oferecer mais por menos, o Jetta R-Line vence essa disputa. Mas isso não quer dizer, necessariamente, que é a melhor compra, pois vários fatores devem ser levados em consideração. Como sempre, recomendamos o test-drive antes fechar a compra.

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será divulgado.
Campos marcadas com * são obrigatórios