Entenda como a plataforma MQB fez o novo Jetta crescer em todas as medidas

O novo Jetta é um exemplo da luta atual das montadoras em acrescentar espaço interno nos seus modelos de três volumes para tentar não perder ainda mais clientes para os utilitários esportivos (SUV). Na nova geração, o sedã da Volkswagen cresceu em todas as direções. Muito dessa “responsabilidade” coube a plataforma global do Grupo Volkswagen chamada de Estratégia Modular MQB. Suas variantes já estão presentes no Golf, Virtus, Polo, Tiguan e, em breve, no novo T-Cross.

No caso do novo Jetta, as proporções exteriores aumentadas significam também mais espaço interno. O sedã mede 4.702 milímetros (mm) de comprimento – 43 mm maior do que a geração anterior. A largura (sem os espelhos retrovisores) é de 1.799 mm (+21 mm) e a altura é de 1.474 mm (+1 mm). Mas o que mais chama a atenção é o entre-eixos: o novo Jetta tem 2.688 mm de distância entre as rodas dianteiras e as traseiras – um ganho de 37 mm em relação do modelo anterior. Traduzindo: o novo Jetta oferece generoso espaço interno para cinco adultos, com mais conforto para cabeças, joelhos e ombros. Já no porta-malas, a boa capacidade de 510 litros foi mantida.

Pela primeira vez, o Jetta faz uso da premiada Estratégia Modular MQB da Volkswagen. Tanto a carroceria como o chassi possuem uma grande porcentagem de aço moldado a quente de altíssima resistência, o que permite adoção de peças mais leves, ainda que muito mais resistentes. Com base nisso, o Novo Jetta chega para ser um dos automóveis mais seguros de sua categoria. E mais: a MQB garante elevado conforto de rodagem e ótimo desempenho dinâmico.

A estrutura do assoalho, na plataforma MQB, possui grande aplicação de aço conformado a quente, extremamente resistente e que colabora para reduzir o peso do veículo, ao mesmo tempo em que melhora o desempenho do veículo em testes de colisão, aumentando a segurança na cabine. A coluna de direção deformável contribui adicionalmente para a segurança, reduzindo ainda mais o risco de ferimentos para o motorista.

A suspensão dianteira é McPherson com molas helicoidais integradas. Na parte de trás, o sistema é do tipo eixo de torção interdependente com molas helicoidais, oferecendo equilíbrio ideal entre conforto de condução, dirigibilidade e robustez.

O conjunto de direção de cremalheira e pinhão com assistência elétrica contribui para a excelente dirigibilidade do Novo Jetta. O sistema é sensível à velocidade, com uma relação de 14,96:1 e 3,01 voltas de batente a batente. Em velocidades maiores, a direção se torna mais firme e direta (aumentando a precisão aos movimentos do volante), enquanto em velocidades de estacionamento, a assistência é aumentada (garantindo menor esforço do motorista). O diâmetro de giro é de 11,2 m.

O novo Jetta traz freios dianteiros com discos ventilados de 288 milímetros, com discos de 272 milímetros na parte traseira. O sistema possui recurso BSW, de secagem dos discos de freio dianteiros, para ajudar a remover a água e ajuda a otimizar a frenagem em clima úmido.

O sistema de freios do Novo Jetta também traz as tecnologias de distribuição eletrônica da pressão de frenagem (EBD) e de assistência hidráulica à frenagem (HBA). E mais: todas as versões do Novo Jetta têm freio de estacionamento eletrônico, com acionamento por meio de botão.

Outro benefício da Estratégia Modular MQB é a possibilidade de se obter excelente eficiência aerodinâmica. O Novo Jetta apresenta um coeficiente de arrasto (Cx) de apenas 0,29. Esse número só é possível graças a uma série de recursos, como o para-choque dianteiro com tomadas de ar nas próximas aos faróis de neblina e ao assoalho com revestimento, o que melhora o escoamento do ar.

 

Conjunto mecânico

O Novo Jetta chega ao mercado brasileiro oferecido exclusivamente com o motor 1.4 TSI Total Flex e transmissão automática de seis marchas (com conversor de torque) com função Tiptronic.

O motor 1.4 TSI é produzido pela Volkswagen na Fábrica de São Carlos (SP) e desenvolve potência máxima de 150 cv (etanol ou gasolina) a 5.000 rpm. Seu torque máximo, de 250 Nm (25,5 kgfm), surge a apenas 1.400 rpm e se mantém plano até 3.500 rpm, com gasolina ou etanol.

Com esse conjunto mecânico, o Novo Jetta alia desempenho, conforto e economia de combustível. O sedã Volkswagen acelera de 0 a 100 km/h em 8,9 segundos e tem velocidade máxima de 210 km/h, independentemente do combustível.

One answer

  1. Raimundo A.
    30 de outubro de 2018 at 06:10

    A MQB com variantes está igual a outras plataformas do grupo PSA, Renault/Nissan e FCA. A versão topo para veículos maiores é a MQB. Para compacto e médio compacto com exigência alta, a MQB A0. Na programação para novos produtos na LATAM, eis que surge a MQB A00 para o sucessor do Gol e seus derivados.

    Sobre o Jetta, um excelente produto, mas da forma como os sedãs médios estão evoluindo, principalmente quanto ao preço, não vai demorar muito, em certas marcas podem entrar na situação de sedã médio grande vide o Camry da Toyota que vende muito pouco até porque o preço o coloca na disputa por produtos de marcas premium.

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será divulgado.
Campos marcadas com * são obrigatórios